Baby Lead Weaning ou BLW, que significa “bebê guiando o desmame” (ou bebê guiando a introdução alimentar, em uma tradução livre) é um método comportamental sobre a introdução alimentar originalmente referido e descrito por Gill Rapley, uma ex-assistente de saúde e parteira inglesa, há 25 anos.

O método permite que o bebê dirija sua introdução alimentar, servindo-se dos alimentos por si só, conforme o permitido pelo seu desenvolvimento físico e cognitivo. As papinhas e talheres são dispensados, e o bebê consome os alimentos que consegue pegar e levar a boca, sendo estimulado em sua autonomia durante sua alimentação completar. A família disponibiliza os alimentos e o bebê os consome sem auxílio dos pais.

Para iniciar, quando o bebê sentar, comece a colocá-lo sentado junto à mesa! Ainda que ele não esteja pronto, oferecer um prato, copo ou talheres para brincar. Quando ele estiver pronto, ele irá demonstrar!

Sempre tenha em mente a SEGURANÇA: bebê sentado, bem apoiado, cinto de fácil retirada. Prepare-se para a sujeira e desperdício, se possível, use plástico para forrar o chão e babadores.

Antes de começar: Lave as mãos do bebê antes da refeição. Álcool gel 70% e um papel toalha ou guardanapo são coringas para limpar qualquer superfície. Atente-se ao formato, veja no arquivo anexo: alimentos em formatos de palito, de preferência, mesma comida que você, desde que se respeite os alimentos a se evitar. Apresente os alimentos de forma que o bebê tenha fácil acesso, na bandeja da cadeira bem limpa. Cheque sempre a temperatura da comida e ofereça uma pequena quantidade. Coloque mais apenas se sentir a necessidade.
Acompanhe e observe sempre!

Praticando:

O aleitamento é a base do processo. Portanto, as mamadas continuam em livre demanda.

Tentar inicialmente com frutas menos duras, que são um pouco mais fáceis de mastigar, além de possibilitarem uma segurança maior ao cuidador- e isso é fundamental. Sugerimos frutas como gomo de mexerica, laranja, banana, pera descascada inteira, pedaços de abacate maduro ou manga.

Quando iniciarmos as refeições principais, elas precisam ser completas, assim, os nutrientes necessários podem ser entregues. Um prato balanceado deverá ser montado para que a criança escolha o que comer dentro desse prato (ou da cadeira de alimentação). Nós escolhemos o que dar, quando e como dar, e as quantidades, ficam com a criança. Por isso é importante que a família sirva uma alimentação equilibrada e completa.

Sugestões de como fazer:

Legumes e tubérculos: assados ou cozidos. Em formato que favoreça a criança a pegar o alimento;

Cereais e leguminosas: assim que a criança conseguir pegar sozinha (em movimento de pinça, com 8/9 meses) ou como bolinhos;

Verduras: picar e usar em receitas, colocando para “temperar” o legume ou o tubérculo, fazendo bolinho com vegetais picados;

Carnes: grelhar tiras de carne vermelha. Pense na direção da fibra da carne: o corte precisa ficar de uma maneira que as fibras fiquem na horizontal. Assim fica fácil para o bebê. Cozinhar pedaços de carne; cozinhar ou assar tiras de frango (preferir pedaços de frango perto do osso, como sobrecoxa desossada). A carne e o frango também podem ser oferecidos como bolinhos, almondegas e hambúrgueres caseiros;

Gordura: refogar um pouco do vegetal; servir constantemente abacate e carne de coco verde; usar azeite para cozinhar os alimentos – gordura é importante para o bebê! Outros óleos também podem ser servidos. Evite óleo de canola, de soja, óleos transgênicos;

Temperos: use temperos frescos, ervas aromáticas e especiarias na comida do bebê! Além de aumentar a capacidade de paladar da criança, todo tempero tem funções terapêuticas que agem como nutrientes que podem favorecer a saúde futura do seu bebê!

Recomendação de tamanho e pedaços:

Quanto menor o bebê, maior o pedaço. Sirva de uma maneira que ele tenha aonde pegar e aonde comer:

  • Frutas macias e sem caroços

  • Legumes em palitos cozidos

  • Refeições completas com carne

 

 

Renata Scatena

Renata Scatena

Pediatra geral / Puericultura/ Aleitamento Materno - CRM 124.384

Formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos
Residência Médica em Pediatria pela Universidade de São Paulo - HCFMUSP
Especialização em Terapia Intensiva Pediátrica pela Universidade de São Paulo – HCFMUSP
Título de especialista em Pediatria pela SBP
Título de especialista em Terapia Intensiva Pediátrica pela AMIB
Médica Plantonista da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto de Oncologia Pediátrica/GRAACC
Médica Pediatrae Diretora técnica da Clínica de Pediatria e Imunização Klabin
Renata Scatena

Últimos posts por Renata Scatena (exibir todos)