A Professora Carolina Ribeiro é uma das principais vias da Chácara Klabin e nos acostumamos a repetir esse nome. Mas você sabe quem foi a mulher homenageada na nomenclatura da rua?

Paulista de Tatuí, Carolina Ribeiro nasceu em 28 de janeiro de 1892 e faleceu aos 90 anos, em 15 de abril de 1982, deixando importante legado para a educação na carreira que percorreu no magistério público e desbravou na hierarquia institucional, até então fechados à atuação feminina.

Foto: MMDC Santo Amaro

Em 1907, concluiu seus estudos, muito jovem, aos quinze anos, formando-se professora na Escola Complementar de Itapetininga. Iniciou sua carreira no magistério no ano seguinte, em 1908, como substituta efetiva da Escola Modelo anexa à Normal de Itapetininga e, desde então, dedicou-se ao ensino público paulista. Em 1912, tornou-se substituta efetiva e adjunta no Grupo Escolar de São Manuel, transferindo-se para a capital no ano seguinte, em 1913, para lecionar no Grupo Escolar ‘Maria José’.

Dirigente da Escola Caetano de Campos, a vanguarda do ensino paulista, no período de 1939 a 1948 e primeira mulher a assumir o cargo de Secretária da Educação desse Estado, em 1955, Ribeiro estreitou relações com organizações católicas, para defender a educação paulista das ameaças de hegemonia política e educacional na estruturação do Estado naquela época. Carolina Ribeiro era definitivamente, uma mulher à frente de seu tempo.

Escreveu ainda, poesias infantis, comédias e alegorias. Publicou as obras: A Educação extraescolar, Centenário do Ensino Normal – Poliantéia O Ensino em São Paulo através da História. Recebeu o Prêmio Roquete Pinto, em 1978, como educadora emérita. Em 1982, ano de sua morte, foi homenageada, com busto esculpido em bronze pelo artista plástico, Luiz Morrone, na Praça da República, de frente para o edifício da Escola Caetano de Campos.

Busto de Carolina Ribeiro na Praça da República. Foto: Acervo DPH

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK