Esta é a modalidade criminosa que, sem sombra de dúvidas, mais ocorre nos grandes centros urbanos de todo o País, que consiste no assalto a pessoas que estão, no momento do roubo, transitando a pé ou em seus veículos pelas ruas da cidade.

O delito acontece, na maioria das vezes, por um ou dois indivíduos que abordam a vítima, estando armados ou simulando estarem armados, com o intuito de subtrair dinheiro ou objetos de alto valor agregado, como aparelhos celulares, tablets e dinheiro propriamente dito. Ocorre que a prisão dos roubadores torna-se muito difícil por sua característica volátil, ou seja, o fato ocorre em poucos segundos e os indivíduos rapidamente saem do local onde ocorreu o roubo e, como o bem subtraído geralmente é pequeno, passa despercebido aos olhos de quem não presenciou o fato.

Uma informação que chama nossa atenção é que, na grande maioria das vezes, os marginais preferem investir contra pessoas distraídas ou aquelas que, de alguma forma, ostentam seus objetos valiosos enquanto transitam despreocupadas por locais ermos ou de pouca circulação.

Em grande parte dos ocorridos, a vítima viu os marginais se aproximando antes da investida, mas se viu sem opções no momento, ou ainda não acreditou que seria realmente assaltada. Para minimizar a vitimização por este tipo de crime, preparamos algumas dicas que podem ajudar:

assaltocoluna

A PÉ

– Procure ficar atento à sua volta, os bandidos preferem investir contra quem está distraído;

– Evite utilizar seu aparelho celular na rua, principalmente para mensagens de texto, aguarde chegar em seu destino ou em lugar seguro;

– Não ostente objetos de valor como brincos, pulseiras, relógio, etc… Qualquer coisa que possa chamar a atenção de bandidos;

– Evite utilizar bolsas que sugerem ter em seu interior objetos de alto valor agregado, como bolsas de notebook, por exemplo;

– Evite transitar por lugares ermos ou escuros, principalmente sozinho. Neste caso, espere mais alguém ou um grupo de pessoas que façam o mesmo percurso;

– Caso perceba que está sendo seguido, entre em algum local onde existam outras pessoas, como um comércio por exemplo, e solicite ajuda;

– Se estiver a pé e desconfiar de alguém que vem à sua frente, atravesse a rua. Se o indivíduo atravessar também entre em algum comércio e peça ajuda;

– No interior de transportes coletivos, deixe sua bolsa sempre à sua frente, de preferência no colo, e prefira sentar sempre próximo de onde estejam outras pessoas;

– Evite vagões vazios. Se o ônibus estiver vazio, fique próximo ao cobrador ou ao motorista e não ostente seus objetos de valor;

– Bolsas devem ser discretas e transportadas a frente de seu corpo com sua mão sobre seu fecho;

– Evite retirar sua carteira em público; separe previamente o dinheiro necessário para pequenas despesas, como café, cigarro, condução, etc.

COM SEU CARRO

– Mantenha sempre certa distância (de 2 a 3 metros) do veículo à frente. O marginal geralmente escolhe para investir contra aquele que está preso entre o veículo traseiro e o da frente. Caso note a aproximação de alguém estranho, é só dar uma ligeira deslocada à frente com o veículo para que o possível marginal desista do roubo;

– Procure identificar em seus deslocamentos habituais postos policiais, pontos de estacionamento de viaturas e ainda postos de abastecimento 24 horas, além de outros estabelecimentos comerciais que em situação de emergência podem servir como ponto de apoio emergencial;

– Habitue-se a dirigir com os vidros fechados e portas travadas;

– Evite ficar distraído enquanto aguarda a abertura do semáforo, mexendo no rádio, celular ou se maquiando, por exemplo;

– Evite colocar objetos ou bolsas sobre qualquer um dos bancos do carro, deixe-a sempre no porta malas ou ao menos sob o banco, principalmente durante as paradas;

– Evite o uso de joias (correntes, relógios, anéis, braceletes, etc) quando estiver dirigindo;

– Caso seja necessário estacionar seu carro, faça-o em locais bem iluminados e de grande circulação como shoppings, supermercados, estacionamentos credenciados, etc;

– Mantenha-se sempre atento. Este é um grande fator de proteção, pois assaltantes evitam se aproximar de pessoas atentas.

Caso você seja vítima de roubo, fique calmo e não faça movimentos bruscos. Evite gritar ou discutir – seu nervosismo poderá aumentar a tensão e provocar uma atitude mais agressiva em seu desfavor.

E lembre-se sempre: relate à Policia qualquer atitude estranha, através do telefone 190 ou diretamente à Base Comunitária da Chácara Klabin, se for nas imediações, através do telefone 5549-0224.

Marcos Verardino

Marcos Verardino

Marcos Verardino é 1o Tenente da Polícia Militar do estado de São Paulo. Bacharel em Ciências da Segurança Pública pela academia do Barro Branco. Bacharel em Direito. Atualmente comanda um pelotão da ROTA.
Marcos Verardino