Encontros serão mediados por Lis de Freitas Coutinho, do Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura da USP

A partir de 23 de maio, o Sesc Vila Mariana recebe inscrições para o curso Sob Cortes e Vetos – O Teatro Oficina e a Censura (1958 – 1968), ministrado pela pesquisadora Lis de Freitas Coutinho, mestre e doutoranda em Comunicação Social pela USP. O curso terá 10 encontros, sempre às terças e quintas, das 19h30 às 21h30 (exceto no dia 15/6) e propõe um panorama da relação entre a censura estatal e o grupo teatral Oficina, entre 1958 e 1968. Os portadores de Credencial Plena do Sesc podem inscrever-se já a partir do dia 23, diretamente na Central de Atendimento. Os demais interessados poderão inscrever-se a partir da terça-feira seguinte, dia 30 de maio. Os valores variam entre R$ 9 e R$ 30.

Sob Cortes e Vetos tem enfoque nos primeiros anos de organização do Oficina e, principalmente, nos primeiros anos da ditadura militar que vigorou no Brasil de 1964 a 1985. O objetivo é compreender como a censura atuou sobre as peças do grupo, e de que forma os cortes e vetos incidiram em sua dramaturgia, possíbilitando entender sua trajetória e os meandros da atuação censória. O curso está estruturado em 10 aulas: as três primeiras dedicadas a contextualizações históricas sobre a censura, o teatro e o Oficina, principalmente na década de 1960; e os demais encontros voltados a discussões específicas a respeito da censura aplicada a algumas obras encenadas pelo grupo, como “Vida Impressa em dólar” (Clifford Odets), “José, do parto à sepultura” (Augusto Boal), “Quatro num Quarto” (Valentin Kataev), “Os Inimigos” (Máximo Gorki), “O Rei da Vela” (Oswald de Andrade) e “O Poder Negro” (Le Roi Jones). A escolha dos textos a serem analisados se deu levando-se em conta fatores apresentados pela censura para os cortes, como restrição quanto à faixa etária, corte de palavras e, no caso de “O Rei da Vela”, simplesmente o veto.

No cronograma das aulas, temas como Panorama da história da censura ao teatro no Brasil, Teatro paulista e o Oficina nos anos 60 e A Censura e o Oficina – Histórico, além dos estudos das obras já citadas.

Lis de Freitas Coutinho é Doutoranda e Mestre (2011) em Comunicação Social pela Universidade de São Paulo (USP) e possui bacharelado e licenciatura em História pela Universidade Estadual de Campinas (2007). Atualmente desenvolve pesquisa, com apoio da CAPES junto ao Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (OBCOM) da USP. Desenvolveu a dissertação “Comunicação, Censura e Memórias: O Rei da Vela e o Oficina (1967-1978)” junto à FAPESP e participou do projeto “Memórias da Escola de Comunicações e Artes da USP: 50 anos” através de coordenação histórica (2012-2014). Atualmente coordena a pesquisa histórica do projeto “Censura em Cena” do OBCOM em parceria com o Centro de Pesquisa e Formação do SESC e a FAPESP.

O curso Sob Cortes e Vetos – O Teatro Oficina e a Censura (1958 – 1968) insere-se na programação do projeto Cortina Fechada – Territórios da Arte, que propõe a discussão sobre a produção cultural e seus contextos sociais e políticos por meio de três eixos temáticos: quando a obra é proibida de circular; quando o artista é proibido de sair de seu país; e quando o artista é obrigado a sair de seu país para continuar produzindo.

Ainda dentro da programação de Teatro do projeto, em julho acontece a Leitura Cênica do texto Verde  que te quero verde, de Plínio Marcos, seguido pelo bate-papo Teatro e Censura, ontem e hoje, com Caio Pacheco,Eduardo Contera, Fernanda Azevedo e Fernando Kinas, em 20 de julho.

Saiba mais sobre o projeto Cortina Fechada: Territórios da Arte, acessando o Portal Sesc SP:bit.ly/CortinaFechada

Serviço:
Cortina Fechada: Territórios da Arte
De março a julho de 2017

Teatro

Curso
Sob Cortes e Vetos – O Teatro Oficina e a Censura (1958 – 1968)
Com Lis de Freitas Coutinho
De 13 de junho a 13 de julho, terças e quintas, das 19h30 às 21h30
Local: Sala 4, 6º andar – Torre A

Duração: 120 minutos/aula
Não recomendado para menores de 16 anos
30 vagas
Inscrições na Central de Atendimento da Unidade a partir de 23/5 para Credencial Plena e a partir de 30/5 para interessados em geral.

Inscrições: R$ 30,00 (inteira) l R$ 15,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) l R$ 9,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena).

 Leitura cênica

Verde que te quero verde
Texto de Plínio Marcos
Com Caio Pacheco, Eduardo Contera, Fernanda Azevedo e Fernando Kinas

Dia 20 de julho, quinta, às 20h30
Local: Auditório (capacidade: 128 lugares)

Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Grátis | Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência, na Bilheteria

Bilheteria: Terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábado, das 10h às 21h; domingo e feriado, das 10h às 18h30 (ingressos à venda em todas as unidades do Sesc).

Horário de funcionamento da Unidade: Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30.

Central de Atendimento (Piso Superior – Torre A): Terça a sexta-feira, das 9h às 20h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30.

Estacionamento: R$ 5,50 a primeira hora + R$ 2,00 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). R$ 12 a primeira hora + R$ 3,00 a hora adicional (outros). 200 vagas.

Sesc Vila Mariana
Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP
Informações: 5080-3000
sescsp.org.br
Facebook, Twitter e Instagram: /sescvilamariana

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK