Chegou as férias, malas prontas, família toda preparada para pegar a estrada, e sempre surge aquela dúvida em relação a levar o pet ou não. Embora hoje em dia existam muitos hotéis e lugares com estrutura para deixar seu pet, inclusive aplicativos onde você encontra pessoas que também fazem o serviço de abrigar seu animalzinho durante uma viagem, seguindo algumas recomendações simples, viajar com seu pet pode ser muito seguro, divertido, e uma experiência inesquecível para toda a família.

Há muitos fatores a serem levados em consideração como o respeito às leis de trânsito, cuidados com a saúde do pet, segurança dele e dos passageiros, distração do motorista durante a viagem. Todo o planejamento da viagem deve envolver também cuidados e procedimentos a serem adotados em relação ao pet, tanto previamente como durante a viagem, para que nada de desagradável aconteça.

Preparando seu pet para a viagem

O primeiro fator a ser considerado é a adaptação do animal ao veículo em que irá viajar. Muitos deles nunca sequer entraram num carro, ou pior ainda, acabam somente entrando no veículo para ir ao veterinário, ou banho e tosa, o que nem sempre é uma experiência muito agradável. Acabam criando uma associação negativa com a atividade de andar de carro. Familiarize seu cão com o veículo, inicialmente fazendo com que ele entre no automóvel, possa brincar no banco traseiro, criando uma associação positiva, até que ele se sinta confortável nesse ambiente. Faça uso de brinquedos, petiscos. Em seguida comece a realizar viagens curtas, sempre tendo como destino final algum lugar divertido para seu pet, como parques, praças, lojas para animais. Aos poucos comece a aumentar o tempo e distância de percurso, mesmo que o destino seja o mesmo, mudando apenas o trajeto. Todo esse treinamento e adaptação irá prevenir a ansiedade antes da viagem.

Leis de trânsito para pets

Com intuito de proteger os pets contra eventuais acidentes, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) insere infrações de média a grave para os motoristas, além da possibilidade de multas, caso não sejam seguidas algumas normas. Os tutores não estão autorizados a dirigirem com os seus cães sentados à esquerda, no colo ou nas partes externas do veículo. Frequentemente vemos animais viajando com a cabeça para fora da janela, o que é proibido e também sujeito a multas. Por lei é permitido que o passageiro leve o animal no colo, embora eu não recomende em casos de viagem. A maneira mais segura de transportar seu pet, embora muitos tutores não gostem, é através de algum método de contenção, para que ele não tenha a liberdade de ter livre acesso por todo o espaço interno do veículo.

Importância da contenção de seu pet durante a viagem

É de extrema importância viajar SEM DEIXAR seu pet totalmente solto no carro. Abaixo posso citar alguns argumentos que sustentam essa minha afirmação:

– Proteção de ser arremessado contra o pára-brisa em caso de colisão, ou mesmo de expulsão do carro em batidas mais fortes, evitando risco de graves lesões e óbito de seu pet;
– Evitar que o animal fuja do carro pela janela ou porta malas se estiverem abertos, enquanto o veículo estiver parado num semáforo por exemplo, ou abastecendo;
– Prevenir que seu pet escape do veículo quando abrir a porta ao chegar no destino final;
– Não permitir que consiga ingerir alimentos que estejam dentro do veículo, como salgadinhos, doces, além de evitar que ele fique pedindo comida caso algum passageiro esteja se alimentando;
– Diminuição da ansiedade, pois geralmente contidos, eles tendem a ficar mais tranquilos;
– Prevenção de acidentes graves através da distração que um animal solto no carro pode causar ao motorista;
– Facilitar a ação dos socorristas em caso de acidente, que podem ser distraídos por um pet que esteja solto, e as vezes até agressivo naquela situação;

Como acalmar seu pet durante o percurso?

Existem diversas formas pra procurar manter seu pet mais tranquilo enquanto estiver viajando, e isso pode variar de animal pra animal. Geralmente é o próprio tutor que descobre qual a melhor estratégia para isso. Algumas dicas são:
– Levar brinquedos que ele gosta, algum cobertor ou colchão, que ele esteja acostumado a utilizar, para remeter a um ambiente mais caseiro, até pelo próprio cheiro;
– Preparados homeopáticos – algumas pessoas relatam que começando a utilizar alguns produtos homeopáticos bem antes da viagem, notam que o animal fica mais tranquilo;
– Passear com o cão antes de entrar no carro pode fazer com que ele gaste sua energia e fique mais tranquilo no trajeto;
– Condições dentro do carro – permitir uma boa ventilação, e manter uma temperatura agradável ajuda bastante. Muitos animais ficam tranquilos quando ouvem música. Dê preferência para músicas clássicas e calmas, com volume não muito alto, já que a audição deles é mais sensível que a nossa;
– Alimentos – embora seja recomendável que o pet viaje em jejum devido ao enjoo, caso isso não seja problema pra ele, um petisco de vez em quando pode deixá-lo mais distraído;
– Em viagens longas fazer paradas a cada 1 hora para que o pet caminhe um pouco, beba água, e faça suas necessidades;
– Restrição de espaço em geral causa menos ansiedade;

Métodos de contenção para viajar

Hoje em dia, existem diversos tipos de equipamentos e produtos fabricados com o intuito de conter seu pet durante a viagem. É interessante antes de adquirir ou utilizar quaisquer desses meios, primeiro verificar a adequação dele às leis e código de trânsito, e verificar informações sobre a resistência e segurança do produto.
Os métodos mais utilizados hoje em dia são:
– Cintos de segurança para cães – são cintos que fixam-se a coleira do animal, e ficam presos no próprio cinto de segurança do veículo;
– Cadeirinhas de transporte – assemelham-se a cadeirinhas para transporte de crianças, e ficam fixas no banco de passageiros;
– Caixas de transporte – são caixas de diversos materiais em que o pet contido, muito utilizada em gatos;

Há diversos outros acessórios que também contribuem para a segurança, como grades que formam uma divisória de forma a não permitir que o animal passe para o banco dianteiro, telas colocadas na janela para evitar que o animal ponha a cabeça ou saia pela janela do veículo. Sempre bom lembrar que independente do método, o pet deve estar fixo em algum ponto do veículo, portanto no caso de caixas de transporte, essas devem estar muito bem amarradas e fixadas à estrutura do carro, ou o pet sempre preso pela coleira nos cintos ou cadeirinhas, nunca soltos. A coleira utilizada e fixa deve ser sempre do tipo peitoral, pois a coleira de pescoço pode causar grave lesão em caso de impacto.

Uso de medicação para enjoo e agitação

Em casos específicos podem ser prescritos pelo veterinário alguns medicamentos com indicação de prevenir os vômitos e ansia, ou calmantes para o animal viajar mais tranquilo.
Nos caso de animais que ficam enjoados, o mais recomendado é não oferecer alimento ao menos 3 horas antes de pegar a estrada. Muitos medicamentos são utilizados para prevenir o enjoo do movimento, alguns de uso humano como a metoclopramida (Plasil) e dimenidinatro (Dramin). Um fármaco altamente eficaz de uso veterinário é o citrato de maropitant (Cerenia), que também tem ótimo resultado. Para acalmar o animal existem vários grupos de medicamentos utilizados, como anti-histamínicos, fitoterápicos e tranquilizantes, sendo o mais popular a acepromazina.
Lembre-se que o uso de qualquer medicação, independente da indicação, deve ser feito através da prescrição de um médico veterinário, já que todo medicamento possui efeitos adversos e riscos se não utilizados da forma correta.

Espero que essas informações tenham sido muito úteis, e que seguindo essas recomendações vocês possam curtir as férias tranquilamente com seus pets. Boa viagem!!

Rodrigo Diaz

Rodrigo Diaz

Médico Veterinário / Clínica / Cirurgia Geral de pequenos animais

Formado pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo
Residência em Cirurgia de pequenos animais pela USP
Pós graduação em administração de empresas FGV
Médico Veterinário e Diretor do Centro Veterinário Jardim da Saúde

Atua há 17 anos como médico veterinário no Centro Veterinário Jardim da Saúde, realizando cirurgias, anestesias, procedimentos odontológicos, imunizações e atendimento clínico em geral, já tendo realizado traduções de diversos livros técnicos em veterinária.

Contato: 5058-7022 / 5073-5115 / 99455-8094
www.vetsaude.com.br
[email protected]
facebook.com/centrovetsaude
Rodrigo Diaz