A Winerie investe na atenção com o consumidor final em uma plataforma e-commerce que também visa ações off-line

Carlos Almeida, sempre foi um grande observador na ideia de como uma boa bebida tem o poder de proporcionar algo positivo dentro de um meio social. Formado em marketing e trabalhando por um longo tempo na indústria de bebidas e lidando diretamente com o consumidor final em uma grande importadora, aprendeu grandes experiências sobre o assunto, sentindo a necessidade de inaugurar algo maior e mais especial, iniciando em 2016, a criação de um grande projeto junto com seu sócio, André Fonseca.

O nome “Winerie”, significa vinícola inglês. E com isso, baseada na grande rivalidade sobre vinhos entre franceses e americanos, pelo modo de se pronunciar a tal palavra, teve a ideia de transformar este nome em uma plataforma e-commerce para a venda e o conhecimento do vinho. No ar desde abril deste ano, o site traz a valorização de vinhos do “novo mundo”. “Atualmente, temos um mercado saturado de vinhos do “velho mundo”, ou seja, os europeus. Muitos importadores trouxeram esses produtos e trabalham ao longo de décadas com eles. Decidimos fugir um pouco desse caminho, valorizando os vinhos do Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e Estados Unidos”, conta.

Contando com uma equipe de seis pessoas para toda comunicação do site e das redes sociais, o empresário acredita que o conceito do e-commerce para a venda de vinhos é algo inusitado e que promove a democratização deste consumo entre diferentes usuários. “Existe uma certa formalidade padrão no consumo e venda de vinhos que é desnecessária. Essa característica faz com que afaste o curioso ou o novo consumidor que se sente excluído por se tratar de vinhos”, explica.

Para abolir estas regras de consumo, a plataforma dá suporte tanto para a compra quanto para as dúvidas. Na busca, existem categorias de navegação que filtram a busca do cliente, seja por país, tipo de vinho, tipo de uva, safra, harmonização e assim, refinando cada vez mais. Para pessoas que não entendem muito sobre o assunto, o chat da página proporciona ao usuário, pedir sugestões ou tirar dúvidas com a equipe ou o sommelier. Muitas vezes, em uma compra online, o cliente pode desistir ao descobrir o valor do frete, após perder tempo com um longo processo na escolha e venda do produto. Na Winerie, antes de colocar o produto no carrinho, é possível simular as opções de frete antes de tomar a decisão da compra.

Com a prioridade voltada em estabelecer uma relação de confiança e atenção com o usuário experiente ou não, Carlos e André visam ações off-line que permitem a troca de conhecimento e o vínculo social por meio do vinho. Planejando para o futuro a construção de lojas físicas que permitem degustações, cursos, workshops e troca de informações, já iniciarão seu projeto mais recente de trazer toda essa experiência para a casa ou evento do cliente. O desejo é que a ideia comece dentro da Chácara Klabin, local onde o conceito foi pensado. “O vinho proporciona um convívio social, a partir do momento que se compartilha viagens, encontros, histórias e momentos agradáveis da vida e como morador do bairro, sei que a região é extremamente sociável. Conhecemos nossos vizinhos, é fácil estabelecer relacionamentos com moradores pois é um local que tem o engajamento e a mobilização na veia”, afirma. “Como somos grandes amantes de vinhos, buscamos pessoas que possam disseminar estes conhecimentos assim como nós e, quem sabe, virarem “personal wineries”, realizando vendas personalizadas de vinhos conosco”.

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK