Resiliência é a capacidade/força para enfrentar e resolver problemas e dificuldades e, se transformar a partir de então, saindo da experiência tão bem (ou melhor) do que entrou. Ao contrário do que muita gente pensa, resiliência não é um traço estático da personalidade, ela poder ser aprendida e os pais podem colaborar muito com o desenvolvimento desta habilidade.

Dentre ações importantes que os pais podem adotar, estão:

– Agir com tranquilidade diante dos obstáculos da vida;

– Evitar ruminações e reclamações;

– Buscar a solução para as dificuldades que se apresentam no dia-a-dia;

– Valorizar os esforços da criança na resolução de problemas e não apenas, o resultado;

– Apresentar modelos, como histórias de pessoas que estiveram em situações difíceis e conseguiram superá-las;

Aproveitar essas narrativas para gerar discussão é uma forma de ajudar a criança a pensar como ultrapassar dificuldades e a internalizar esperança e coragem, características necessárias para desenvolver força e superação.

Algumas perguntas podem orientar a discussão e ajudar atingir este objetivo como: Qual o desafio foi enfrentado? Que habilidades o protagonista precisou? Quais as forças e as fraquezas que possuía? Como lidou com elas? Obteve ajuda de alguém e de que maneira? O que ele aprendeu? Você já precisou usar suas forças na vida? Qual era a dificuldade? Como foi? Alguém te ajudou? De que forma? Como se sentiu?

Esta interação e diálogo entre pais e filhos fortalece o vínculo familiar, que também é um fator importante para o desenvolvimento da resiliência, uma vez que propicia a expressão da criança, a escuta e o acolhimento das suas opiniões e histórias. Desta forma, além de ajudar a criança observar pessoas e situações, pode-se estimular a compartilhar suas histórias e se apropriar das suas forças para a resolução de problemas, tristeza e perdas.

Dica de leitura para a família:

Livro O que a Gabi e a Flor de Lótus têm em comum? | Sinopsys Editora |

Autoras:  Alline Teixeira e Mayara Techio

O livro aborda a temática da resiliência infantil. Gabi, uma menina de 10 anos, aprende a lidar com a frustração e o sofrimento pela perda do tão sonhado irmão, ainda no período de gestação, à medida que aceita suas emoções desagradáveis e entende que elas fazem parte da vida. O vínculo familiar e a metáfora da flor de lótus são dois recursos utilizados para ajudar Gabi neste processo de superação da sua dor.

Coleção Antiprincesas – Frida Kahlo | Sur Livro Distribuidora e Editora |

Autora:  Nadia Fink Pitu Saá

Frida Kahlo, é sem dúvida um exemplo de resiliência e superação.  A artista mexicana tem sua história de vida marcada por diversas situações difíceis como uma poliomielite aos 6 anos de idade, a deficiência física como sequela da poliomielite, por acidentes e diversas cirurgias na coluna e, consequentemente, pela dor física e pela tristeza diante das limitações. Ainda assim, Frida sempre lutou pela vida e procurou a arte, a pintura e a alegria para dar significado a sua existência e superar sua dor. Frida tornou uma pintora conhecida pelos seus autorretratos de inspiração surrealista e também por suas fotografias. Lecionou na Escola Nacional de Pintura e Escultura do México. Foi uma defensora dos direitos das mulheres, tornando-se um símbolo do feminismo, teve uma de suas obras adquiridas pelo Louvre e mostrou ao mundo que é possível superar limitações de ordem física e emocional.

 

Fabiane Matias

Fabiane Matias

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta de Família
CRP 06/68421
Especialista em Terapia de Família e Casal pela UNIFESP eem Psicologia da Saúde pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.
Atualmente, é psicóloga no Ponto Clínico e responsável técnica pelo Serviço de Psicologia da Associação Brasileira de Pacientes Asmáticos (ABRASP)
Atua há 15 anos nos temas avaliação psicológica em saúde, orientação e intervenção com famílias e casais, saúde materno infantil, ciclo vital, orientação profissional, psicopatologias do desenvolvimento emocional e psico-social.
Fabiane Matias