A vacinação foi ampliada para todo o Estado. A mudança ocorreu após a morte de duas pessoas que foram contaminadas em Mairiporã

São Paulo está em alerta. No sábado (06), a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou a morte de duas pessoas por Febre Amarela silvestre em São Paulo neste início de ano. Uma outra pessoa está internada no Hospital das Clínicas por causa da doença, em estado grave. Após as mortes, o governo decidiu ampliar a vacinação contra a doença para todo o Estado – a imunização estava concentrada na Grande São Paulo. Em nota, a secretaria afirmou que a mudança de estratégia segue critérios “epidemiológicos, com a priorização de áreas com corredores ecológicos”.

A febre amarela é causada por um vírus da família Flaviviridae e ocorre em alguns países da América do Sul, da América Central e da África. No meio rural e silvestre, é transmitida pelo mosquito Haemagogus. Já em área urbana, o vetor é o Aedes aegypti, o mesmo da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

Muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas, e quando os apresentam, os mais comuns são:

  • Febre
  • Dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas
  • Dor de Cabeça
  • Perda de apetite
  • Náuseas e vômito
  • Olhos, face ou língua avermelhada
  • Fotofobia
  • Fadiga e fraqueza.

Os sintomas nesta fase aguda da doença costumam durar entre três e quatro dias e passam sozinhos. No entanto, uma pequena porcentagem de pessoas pode desenvolver sintomas mais graves cerca de 24 horas após a recuperação dos sintomas mais simples. Nesta fase chamada de tóxica, o vírus pode atingir diversos órgãos e sistemas, mas principalmente o fígado e rins. Os sintomas dessa fase são:

  • Retorno da febre alta
  • Icterícia, devido ao dano que o vírus causa no fígado
  • Urina escura
  • Dores Abdominais
  • Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago.

Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias.

A vacinação é considerada pela Organização Mundial da Saúde a forma mais importante de prevenir a febre amarela. Tanto que é a vacinação frequente que impede que a doença de espalhe mesmo em áreas endêmicas. É preciso que ao menos 80% da população seja imunizada contra um vírus para prevenir a doença nestas regiões.

Veja a seguir como deve ser a vacinação em áreas endêmicas:

  • De 6 meses a 9 meses de idade incompletos: a vacina está indicada somente em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem inadiável para área de risco de contrair a doença
  • De 9 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias de idade: é indicado uma dose aos 9 meses de idade e uma dose de reforço aos 4 anos de idade
  • A partir dos 5 anos de idade: se a pessoa já recebeu uma vacina, pode-se dar mais uma dose. Se ela nunca foi vacinada, é preciso dar uma dose inicial e outra de reforço 10 anos depois.

No caso de pessoas com mais de 60 anos que nunca foram vacinadas, o médico deve levar em conta os riscos da vacinação, que incluem o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrentes de comorbidades. Gestantes e lactantes são contraindicadas a tomar esta vacina, assim como pessoas imunossuprimidas.

Nesta época de férias e carnaval, onde muitos pensam em viajar, antes de arrumar as malas e embarcar, é preciso ficar de olho nas exigências para visitar alguns destinos, inclusive no Brasil. Alguns países só permitem a entrada de turistas vacinados contra determinadas enfermidades. A recomendação é manter em dia a vacinação contra a febre amarela, disponibilizada gratuitamente nos postos de saúde, mas nem todos emitem o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia) – documento importante na hora de viajar. É necessário tomar a vacina no mínimo dez dias antes de viajar. A imunização dura dez anos, depois deste prazo é só tomar a vacina de reforço, sem necessidade de esperar tempo algum antes de viajar.

Confira quais são os postos de vacinação na Vila Mariana:

UBS Dr. Geraldo da Silva Ferreira – Av. Eng. Armando Arruda Pereira, 2944 – 5588-2366 / 5021-7744 (FAX)

UBS/PSF Prof. Milton Santos – Av. Ceci, 2249 – Planalto Paulista – 5581-0426/ 5072-1954

UBS Sigmund Freud – Av. Indianopólis, 650 – 5054-2851 / 5054-2705

Para conferir os postos em outras regiões de São Paulo, acesse este link.

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK