A diferença entre os tipos de leite está na qualidade microbiológica, isto é na higiene do leite. Atualmente a legislação permite que todos os leites sejam comercializados nas versões integral (gordura original), padronizado (3% de gordura), semi-desnatado (1,5%) e desnatado (light, 0,5% máx.). Quanto mais bactérias um leite tem, menor é o prazo de validade, que deve ser observado no rótulo do produto. O tipo A  tem até 10 mil bactérias e dura, em média, 4 a 10 dias; o B tem até 500 mil micro-organismos e vence em 3 dias; o tipo  C,  não tem limite de contagem de bactérias e dura 2 dias; e o UHT ou longa vida (de caixinha), de 3 a 4 meses. Uma diferença importante é que os tipos A e B, são somente pasteurizados e comercializados. O leite Tipo C é o que será também industrializado. Isso significa que TODOS os derivados do leite: queijo, iogurte, LEITE LONGA VIDA e outros, são obtidos de leite cru do Tipo C.

A Classificação do leite é dada pelo Ministério da agricultura (Instr. Norm. 51 de 2002). As diferenças entre os tipos de leite, de acordo com o professor Dr Ernani Porto, da Lan/Esalq/USP, são as exigências na ordenha, higiene e construção do estábulo. Elas são dadas pelo SIF. O produtor é classificado de acordo com isso. Cada estabelecimento produz um dos tipos de leite.

  • Leite Tipo A: possui sala de ordenha própria, de alvenaria e revestida (azulejos); a ordenha é mecânica, o leite resfriado imediatamente após a obtenção. Esse produtor pasteuriza (A pasteurização é o aquecimento do leite a 75º C e o rápido resfriamento a 4º C) e envasa o leite na própria granja. O leite está no comércio 12 h após a ordenha. Cada marca de leite é de uma única granja.
  • Leite Tipo B: também possui sala de ordenha própria, azulejada, a ordenha é mecânica, o leite resfriado imediatamente após a obtenção. O leite é recolhido por caminhão-tanque, levado refrigerado até uma usina. Lá é reunido com leites de outros produtores (B, também), pasteurizado e envasado. O leite está no comércio 24 h após a ordenha. (Este leite é geralmente encontrado nas Padarias)
  • Leite Tipo C:  (também conhecido como “leite de saquinho”) não há necessidade de instalações especiais para ordenha, que pode ser manual. Não é obrigatória a refrigeração imediatamente após a ordenha. O leite pode ser armazenado em latões. É levado à usina e pasteurizado.
  • Leite tipo UHT ou Longa Vida: (Mais conhecido como “Leite de Caixinha”) ,  o  leite tipo UHT é o leite tipo C que sofre um processo de pasteurização rápida HTST (High Temperature Short Time) o leite é submetido à uma temperatura entre 72 à 75°C durante 15 a 20 segundos, seguido por resfriamento à 4°C. Esse processo foi desenvolvido para eliminar os microrganismos patogênicos causadores de zoonoses e de doenças transmitidas pelo leite cru, mantendo a maior parte do valor nutricional (há perda de 50% das vitaminas do complexo B), dando a este leite o maior prazo de validade de todos: 4 a 6 meses. Este leite é o único a conter  estabilizantes trifosfato de sódio, monofosfato de sódio, difosfato de sódio e citrato de sódio.

Leite Tipo C é leite ruim?

Não. Há produtores de leite C que usam ordenha mecânica, refrigeram o leite cru e produzem um leite de boa qualidade.  Outros não usam nada disso, e seu leite é de má qualidade. O problema é que o consumidor, e mesmo o especialista, não pode diferenciar isso visualmente. Ao contrário dos Tipos A e B, não há padronização da qualidade. O leite pode ser muito bom ou muito ruim, mas só através de testes de laboratórios sua qualidade pode ser conhecida.

A final, qual é o melhor leite? Depende, o leite tipo A é o melhor do ponto de vista de higiene e manutenção do valor nutricional e sensorial (paladar), porém tem um prazo de validade menor do que o UHT (longa Vida). O profissional nutricionista pode indicar o melhor tipo de leite para cada indivíduo de acordo com suas necessidades individuais.