Noites em claro, memórias boas e ruins em looping infinito, evoluções e recaídas, emoções à flor da pele, raiva e descrença, choros e lamentos. Todos já passamos por isso ao menos uma vez na vida quando um namoro que proporcionou momentos memoráveis terminou.

Dou cursos, consultorias e treinamentos sobre inteligência emocional e conheço bem a teoria a respeito do assunto, mas, quando somos colocados à prova, é preciso muita convicção, superação e maturidade para manter-se forte. Existem muitos caminhos para superar de forma madura e construtiva aquela fase que parece que não vai passar nunca. Veja a seguir algumas dicas que podem ser úteis para você ou um amigo, hoje ou amanhã, superarem esse momento delicado na sua vida.

 

1. Precisa mesmo se separar?

Nenhum homem nunca pisará nas águas de um mesmo rio, porque o rio está em constante transformação, e o ser humano também. Se cada membro do casal está em evolução contínua (ou às vezes involução), seria uma ilusão
manter o relacionamento nos mesmos moldes de quando iniciaram. Imagine se um casal que vive junto há 10 anos mantiver o mesmo comportamento um com o outro durante todo esse tempo? Assim como cada um evolui individualmente, o indivíduo casal também deve evoluir. Às vezes, o relacionamento precisa apenas de uma repaginação.

2. Por que tudo tem que terminar?

Será preciso mesmo romper relações se vocês compartilharam por tanto tempo um relacionamento tão próximo? Que tal transmutar a relação em algo melhor, como uma amizade para o resto da vida? Se como casal a relação não funciona mais, talvez como amigos vocês redescubram o porquê gostaram tanto um do outro por tanto tempo. Como diz o Professor DeROSE no seu livro Método Para um Bom Relacionamento Afetivo: namorado tem prazo de validade, mas ex é para sempre!

3. Abrace o sofrimento.

Por mais forte que você seja, é uma ilusão tentar não sofrer como término de um relacionamento. Toda separação representa uma grande perda e um golpe na autoestima para uma espécie como a nossa que odeia mudança. Casais toleram verdadeiras atrocidades de seu parceiro para evitar a dor da separação (mudança) e o medo da solidão, que muitas vezes parecem maiores que a dor de conviver com alguém que já não te satisfaz mais. O término do relacionamento pode doer, mas pode ser exatamente o que você estava precisando para sair da sua zona de conforto e ser muito mais feliz. Na pior das hipóteses, você sairá mais forte e resistente à dor!

4. Assuma a responsabilidade pelos seus sentimentos.

É normal querermos culpar o/a ex pela nossa miséria, mas, se deixarmos de lado a neurose de atribuir culpa ao outro, sobramos com o fato de que agora estamos por conta própria e só nós mesmos que poderemos lidar com as nossas emoções e superar a situação. Quando assumimos a responsabilidade pelos nossos sentimentos,  adquirimos o poder de superá-los. É o início de qualquer processo de recuperação e evolução.

5. Abandone a ilusão da alma gêmea.

Essa ideia romântica já está muito ultrapassada. Podia fazer sentindo numa época na qual o ser humano vivia em pequenas vilas e conhecia menos pretendentes na vida inteira do que hoje encontra no Tinder em um único dia. Vivemos numa era de abundância e liberdade. Desapegue da ilusão do “feitos um para o outro” e chame o próximo da fila. 6. Felizes para sempre? Por falar em ilusão, nos Estados Unidos, 1 em cada 5 casamentos acabam em menos de 5 anos. E eventualmente, cerca de 50% dos casamentos estão fadados a terminarem em divórcio, segundo pesquisa da CDC. Portanto, adote a filosofia do seja eterno enquanto dure, pois namoro tem prazo de validade. Veja na natureza: raros são os animais que têm apenas um parceiro ao longo da vida, geralmente têm vários em um único ano.

6. Felizes para sempre?

Por falar em ilusão, nos Estados Unidos, 1 em cada 5 casamentos acabam em menos de 5 anos. E eventualmente, cerca de 50% dos casamentos estão fadados a terminarem em divórcio, segundo pesquisa da CDC. Portanto, adote a filosofia do seja eterno enquanto dure, pois namoro tem prazo de validade. Veja na natureza: raros são os animais que têm apenas um parceiro ao longo da vida, geralmente têm vários em um único ano.

7. O sucesso é uma sucessão de fracassos.

No seu best seller Pense e Enriqueça, Napoleon Hill cita que mais de 500 homens entre os mais bem sucedidos dos Estados Unidos afirmam que o seu maior sucesso chegou logo depois de uma derrota. Também cita que os empresários mais bem sucedidos fracassaram mais de 10 vezes. Enquanto a maioria teria desistido, eles seguiram em frente e colocaram em prática no empreendimento seguinte aquilo que aprenderam nos anteriores para se tornarem multimilionários. Veja o que você aprendeu nesse relacionamento e poderá fazer melhor no próximo aumentando as chances de uma parceria mais saudável e duradoura.

8. Siga a sua rotina.

Não se dê o luxo de mudar a sua agenda para curtir a fossa! Você não precisa da piedade dos outros. Siga a sua rotina e vai perceber que a vida continua e que existem formas mais úteis de lidar com a perda do que sofrer sozinho em casa comendo chocolate e escutando Coldplay.

9. Transforme emoção em realização.

As emoções são um tipo de energia bem volátil. Você pode utilizá-las de forma destrutiva ou construtiva e a escolha é toda sua. Essa fase em que as emoções ficam à flor da pele pode ser a mais produtiva da sua vida! Dedique-se mais ao trabalho, a compor músicas, a escrever ou outro projeto qualquer. Você vai perceber que terá mais inspiração e disposição para realizar, como Vinícius de Moares, que concebeu grandes obras primas da poesia e da música justamente nesse momento tão infeliz.

10. Exercite-se.

Outra forma de canalizar a emoção de forma produtiva é praticando algum esporte ou exercício físico. Além de encher o corpo de endorfinas e ter aquele alívio imediato, você pode entrar em forma e melhorar a sua autoestima.

11. Ocupe-se!

“Quem se ocupa, não se preocupa” diz o Professor DeRose, especialista na área de transformar situações potencialmente negativas em realização, como conta em sua autobiografia Quando é Preciso Ser Forte. O fato é que se você estiver ocioso, a mente será atraída para o problema e o sofrimento. Encha a sua agenda de compromissos sociais e profissionais enquanto o tempo se ocupa em cicatrizar a ferida.

12. Dê tempo ao tempo.

Tem coisas que só o tempo resolve e outras que se resolvem sozinhas com o passar do tempo. Nossas emoções são como o nosso corpo, sempre que nos machucamos fisicamente, o corpo precisa de um período de cicatrização. Quanto mais profunda for a ferida, mais tempo e cuidado serão necessários.

 

Danilo Chencinski

Danilo Chencinski

Formado em propaganda e marketing pela ESPM, decidiu mudar de carreira em busca de qualidade de vida e realização pessoal. Hoje, tem uma escola do DeROSE Method na Vila Mariana, onde ministra aulas, cursos e consultorias sobre comportamento, desenvolvimento pessoal e alta performance.
www.metododerosevilamariana.com.br
Danilo Chencinski

Últimos posts por Danilo Chencinski (exibir todos)