Japão, games e Mário e Oswald de Andrade são os destaques das exposições, além de uma ótima programação para as crianças

Para o mês de julho, o Centro Cultural de São Paulo caprichou nos programas de lazer para todas as idades. As exposições de julho trazem temas diferenciados que permanecerão até agosto. Pensando nas férias da criançada, o local traz uma ótima opção de lazer com teatro e contação de histórias. Confira abaixo a programação:

Exposições

TOHOKU – através do olhar dos fotógrafos japoneses

até 12/7

São os últimos dias para conferir a exposição TOHOKU – através do olhar dos fotógrafos japoneses, apresentada no CCSP em parceria com a Japan Foundation São Paulo, composta de 123 fotografias de Tohoku, região do arquipélago japonês dividida em seis províncias: Aomori, Iwate, Akita, Yamagata, Miyagi e Fukushima. Em 2011 a região ganhou atenção do mundo pelo Grande Terremoto do Leste do Japão, seguido do tsunami e do acidente na Usina Nuclear de Fukushima. A mostra revela que o local vai muito além da memória da catástrofe e, através das lentes de consagrados nomes da fotografia japonesa, traz ao público as belíssimas paisagens naturais e importantes registros da herança da cultura Jomon.

Curadoria: Kotaro Iizawa – fotógrafos: Teisuke Chiba, Ichiro Kojima, Hideo Haga, Masatoshi Naito, Hiroshi Oshima, Naoya Hatakeyama, Meiki Lin, Masaru Tatsuki e Nao Tsuda, além do Sendai Collection, grupo de fotógrafos liderado por Toru Ito – Organização: Japan Foundation – Cooperação: The Photographic Society of Japan

De terça a sexta-feira das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados das 10h às 18h – livre – Piso Flávio de Carvalho – grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

 

Games and Politics

até 30/7

A exposição foi concebida pelo ZKM (Centro para Cultura e Mídia) em Karlsruhe, na Alemanha, e é um dos mais importantes do mundo na investigação da intersecção entre arte e tecnologia. Trazer esse conteúdo para o CCSP significa colocar à disposição do público parte de uma pesquisa reconhecida internacionalmente e que inspira artistas, curadores e agentes de cultura. Os jogos eletrônicos apresentados nesta exposição dificilmente poderiam ser acessados pelo público paulistano de outra forma. Sua plataforma oferece acesso a jogos premiados, gratuitamente e com equipamentos de qualidade.

De terça a sexta-feira das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados das 10h às 18h – Piso Flávio de Carvalho – grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

 

MáriOswald

até 20/8

A exposição MáriOswald integra a Semana MáriOswald – 100 anos de uma amizade, uma programação especial do Centro Cultural São Paulo que homenageia dois ícones da cultura brasileira: Mário e Oswald de Andrade. O encontro entre ambos, em 1917, culminou na revolucionária Semana de 22. Sendo a cidade de São Paulo o território da experiência modernista e repositório desse residual simbólico, a mostra evidencia, por meio de obras e documentos pertencentes aos acervos da Secretaria Municipal de Cultura – como Coleção de Arte da Cidade, Coleção Arquivo Multimeios e Acervo Histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga, sob guarda do CCSP –, a ‘contribuição milionária’ de Mário e Oswald. A exposição apresenta, entre outras obras, a série de desenhos originais de Tarsila do Amaral para o livro Pau Brasil (1925), de Oswald de Andrade, publicações como revista Klaxon, objetos e documentos da Missão de Pesquisas Folclóricas (1938) – expedição idealizada e organizada por Mário de Andrade no período em que ele esteve à frente do Departamento de Cultura de São Paulo – e expõe, sobretudo por meio de fotografias, audiovisual e impressos, a permanência de suas ideias e a potência de suas obras enquanto norte para demais linguagens artísticas, como O rei da vela, peça de Oswald de Andrade, sob direção de José Celso Martinez, 1967, e Macunaíma, adaptação da obra de Mário de Andrade para o teatro, sob direção de Antunes Filho, 1977. Curadoras de artes visuais: Maria Adelaide Pontes e Nathalie Schreckenberg – Arquiteta de exposições: Claudia Afonso – Estagiário: Guilherme Teixeira – Coleção de Arte da Cidade: Camila Romano (coordenação) e Claudia Lameirinha Bianchi (conservação) – Arquivo Multimeios: Marta Paolicchi (coordenação) e Andrea Morellatto (conservação – Acervo Histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga: Wilma Martins de Oliveira (coordenação) – Montagem: Equipe de Manutenção e Marcenaria do CCSP – Montagem fina: Ladum produção e montagem – Apoio: Associação Amigos do Centro Cultural São Paulo

De terça a sexta-feira das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados das 10h às 18h – Sala Tarsila do Amaral – grátis – sem necessidade de retirada de ingressos + info: visita mediada:  terças, às 14h30 – informações sobre agendamento: [email protected] (as visitas serão agendadas para grupos de no mínimo três pessoas)

 

Infanto Juvenil

Cia. Mapinguary

de 1º a 30/7

No mês de julho, férias da criançada, será apresentada uma animada temporada de contação de histórias com a Cia. Mapinguary. Brincadeiras, música e muita alegria fazem parte do repertório que terá histórias como: Mistérios da mata, Africontos, Um dragão e o guarda-chuva, Qual é o nome dele?, Hércules, que trabalheira e Um soldado e o caçador.

SOBRE A CIA. MAPINGUARY: Foi idealizada por Carlos Godoy e fundada em 2000. Ao longo do tempo foi agregando elementos do teatro de animação, do cancioneiro e do folclore infantil. Aprofundando nos estudos do enredo e da estrutura narrativa das histórias encontrou a melhor forma de narrá-las e criou-se assim O universo brincante do contador de histórias. Após muitos anos consolidou suas pesquisas transformando-as em um amplo repertório. A Cia. é formada pelos contadores José Carlos de Godoy, Vanessa Meriqui, Silvio Ribeiro Viana e Adriana de Fatima Nunes e pelos músicos Gelson dos Santos e Giuliano Del Sole.

sábado e domingo, às 14h30 – 60min – livre – Espaço Mário Chamie (Praça das Bibliotecas)

grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

obs.: nos dias 29 e 30 haverá interpretação em Libras

 

Que bicho é esse???

até 30/7

O espetáculo narra a história de um bicho esquisito, uma princesa e os desafios propostos por um rei aos pretendentes à mão da jovem para adivinharem do que é feita a sua almofada real. E está lançado o desafio: que bicho é esse??? O Grupo Pasárgada, que está comemorando 44 anos, acerta ao levar para o palco um conto popular recolhido por um dos mais importantes pesquisadores, antropólogos e historiadores de nosso País, o potiguar Luís da Câmara Cascudo (1898-1986). Texto: Angela Lyra e José Geraldo Rocha – elenco: Joana Freire, Luian Borges e Pedro Machite – direção geral: José Geraldo Rocha

sábados e domingos, às 16h – 55min – livre – Sala Jardel Filho

R$30,00 (adultos) e R$15,00 (crianças) – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30) e no site www.ingressorapido.com.br a partir de 30 dias antes do evento (mesmo no caso de temporadas longas)

preço popular: R$3,00 (dia 9/7, domingo) – serão vendidos apenas dois ingressos por pessoa, na bilheteria do CCSP, que será aberta somente duas horas antes do início do espetáculo  – os ingressos não estarão disponíveis pela internet

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK