Dizem que as palavras “banho” e “gato” não combinam muito, e muitos donos de gato sabem que isso é a mais pura verdade… Mas não se trata de uma regra geral. Muitos gatinhos gostam do momento de tomar banho, principalmente quando é realizado de uma forma prazerosa, tranqüila, com alguns cuidados básicos. Em geral os felinos gostam de água, como observamos em alguns felinos silvestres como os tigres, porém não é a água em si, mas a forma como nós realizamos os banhos que pode deixar os bichinhos com trauma. Gostando ou não, em muitas situações, o banho é necessário e a seguir deixo algumas dicas valiosas.

Porque você deve banhar seu gato?

A primeira coisa que você precisa saber é que, na maioria das vezes, ele NÃO PRECISA DE BANHO. É isso mesmo, eles são muito higiênicos, e possuem uma língua mágica capaz de manter sua pele e pêlo limpos por toda a vida, e não há necessidade de fazer os banhos, nem uma vez por mês, por ano, nunca mesmo!
Mas sempre existem aquelas situações especiais, em que não há como escapar, e uma boa ensaboada é imprescindível:

  • Sujeira em excesso – ocorre naqueles casos em que os gatos entram em lugares muito sujos, como terras, lama, poças de água, etc;
  • Necessidade de retirar algum produto de sua superfície – isso ocorre naqueles casos de contato com substâncias tóxicas como piretrina/permetrina (causam tremores e sintomas graves), óleo de motor, gasolina, tinta ou produtos químicos em geral;
  • Dermatofitose – trata-se de um fungo que pode estar presente na pele e pelo de seu pet, e dependendo do caso, seu veterinário pode prescrever os banhos com xampus adequados como forma de tratamento;
  • Infestações por pulgas – embora hoje em dia existam produtos muito eficazes e rápidos para o controle das pulgas, em casos extremos os banhos ainda podem ser uma opção mais barata e eficaz;
  • Gatos obesos e com artrose – Nesses casos os animais geralmente possuem maior dificuldade para realizar a auto limpeza, e acabam ficando mais sujos, muitas vezes com uma descamação (caspa) mais intensa e perceptível pelo dono;

Dicas para o banho de gato

Antes de qualquer coisa, planeje o banho com antecedência e deixe todos os suprimentos e materiais preparados e ao seu alcance. Geralmente uma jarra/caneca para despejar água sobre ele, toalhas (mais de uma), xampu específico para gatos.

1- Banho a seco – pode ser sua primeira opção, já que no mercado existem muitos produtos com essa finalidade, seja em spray ou gel, ou os lenços umedecidos. Os resultados podem ser satisfatórios em muitos casos. Deve ser utilizados produtos específicos, porque invariavelmente eles irão se lamber depois;

2- Corte as unhas e escove os pêlos com antecedência – de preferência no dia anterior, já que acaba sendo um stress a menos no momento do banho. O corte das unhas evita que os gatos mais agressivos possam causar graves
arranhões, e a escovação dos pêlos facilita e diminui o tempo da lavagem e secagem;

3- Muita calma nessa hora – procure manter a tranqüilidade nesse momento, brinque com ele antes, faça carinho, não deixando perceber que é hora do banho. Alguns petiscos e atrativos como brinquedos podem funcionar. Uma alternativa que pode ajudar é o uso do feromônio do gato no ambiente (Feliway®) uns 15 minutos antes, conforme recomendação do fabricante;

4- Utilize banheiras e piso anti-derrapante – de preferência faça o banho em algum recipiente como banheiras ou bacias, e não em lugares abertos como embaixo do chuveiro somente. Coloque uma toalha, ou algum tapete anti- derrapante no fundo, para que ele não fique escorregando. Encha parcialmente o local com água morna (não muito quente)

5- Molhe aos poucos – com uma jarra, um copo, ou até um chuveirinho não muito forte, comece molhando aos poucos, começando pelas patas, e depois corpo. A cabeça sempre deixe por último, e procure proteger os ouvidos na hora de despejar a água;

6- Produtos específicos – existem no mercado xampus, condicionadores, perfumes, exclusivos para gatos, e são esses que devem ser utilizados. Em casos de banhos terapêuticos, o veterinário pode recomendar produtos para o
tratamento, muitas vezes devendo agir por um tempo no corpo. Ensaboe o animal vagarosamente, como se estivesse fazendo carinho;

7- Enxague – também deve ser feito com um fluxo pequeno de água, jarra, copo ou chuveirinho, para que ele não se assuste, procurando retirar todo o produto da pelagem do animal, de forma a não deixar resíduos;

8- Secagem – usar sempre toalhas limpas e secas, e de preferência mais de uma. Manter ele enrolado em uma toalha, pode deixá-lo mais calmo. Evite o uso do secador, a menos que ele já esteja acostumado com o barulho. De qualquer forma utilize em baixa potência, e evite usar o secador nas patas e cabeça. Durante a secagem pode ser realizada a escovação dos pelos simultaneamente, com escovas próprias e de cerdas macias. A secagem ao sol
é uma boa alternativa também, e muitos gatos adoram tomar um solzinho depois do banho!

Mesmo com essas dicas, se ainda é uma missão impossível para você fazer o banho de seu gato em casa, você tem a alternativa de procurar um serviço profissional de banhistas e tosadores com experiência em gatos, para que realizem esse serviço por você.

 

Rodrigo Diaz

Rodrigo Diaz

Médico Veterinário / Clínica / Cirurgia Geral de pequenos animais

Formado pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo
Residência em Cirurgia de pequenos animais pela USP
Pós graduação em administração de empresas FGV
Médico Veterinário e Diretor do Centro Veterinário Jardim da Saúde

Atua há 17 anos como médico veterinário no Centro Veterinário Jardim da Saúde, realizando cirurgias, anestesias, procedimentos odontológicos, imunizações e atendimento clínico em geral, já tendo realizado traduções de diversos livros técnicos em veterinária.

Contato: 5058-7022 / 5073-5115 / 99455-8094
www.vetsaude.com.br
[email protected]
facebook.com/centrovetsaude
Rodrigo Diaz