Marcado pelo início do inverno, época de maior dificuldade nos bancos de sangue, o mês deixa a cidade de São Paulo iluminada de vermelho! Que tal fazer parte desta boa ação?

A partir deste mês, alguns pontos da cidade de São Paulo e de todo o Brasil, serão vistos iluminados com luzes vermelhas e com uma importante finalidade: chamar atenção para o início da campanha Junho Vermelho, que estimula a doação de sangue durante o inverno, quando há uma redução nos estoques e um crescimento na demanda. Sangues como O­ negativo, são um dos mais raros e os que mais faltam, pois, o sangue tipo O é o doador universal.

Na capital paulista, diversos pontos serão iluminados, dentre eles a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o Palácio dos Bandeirantes, o Memorial da América Latina e a Sala São Paulo. Muitas pessoas esperam pela necessidade de um parente ou amigo, mas o número de pessoas anônimas que precisam de sangue ou derivados não diminui nunca – são pessoas com doenças do sangue (como leucemia, talassemia, anemia falciforme, entre outras), vítimas de acidentes, transplantados, entre outros. Doar sangue é uma atitude humana, nobre e que, em muitos casos, é a única chance de sobrevivência para uma pessoa. Que tal fazer parte desta boa ação?

Viaduto do Chá

Monumento às Bandeiras

Memorial da América Latina

Critérios para a doação de sangue:

– Ter de 18 a 65 anos (menores de idade apenas com autorização do responsável legal);

– Estar descansado e com boas condições de saúde;

– Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas quatro horas;

– Não ter recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses;

– Não estar com febre, gripe ou resfriado;

– Se mulher, não estar grávida, amamentando ou ter tido parto normal ou aborto há menos de três meses. Em caso de cesárea, seis meses;

– Após piercing, aguardar três dias para doar;

– Após tatuagem, aguardar 12 meses;

– Não ter antecedentes de hepatite, doença de chagas e sífilis;

– Acupuntura – sendo agulhas do próprio paciente, não há impedimento;

– Pesar mais do que 50 kg;

– Medicamentos – tempo variado; o esclarecimento deve ser feito pessoalmente ou por telefone antes de doar;

– Áreas de febre amarela, malária, doar após seis meses;

– Hipertensos podem doar dependendo da situação avaliada em entrevista clínica;

– Diabéticos que não façam uso de insulina;

– Tratamento dentário – tempo variado, entre três dias e um mês dependendo do caso;

– Alimentação – não é aconselhado doar sangue em jejum prolongado;

Orientações básicas:

– Levar documento com foto;

– Endereço completo com CEP para o envio de carteirinha de doador e resultado de exames;

– Homens podem doar a cada 60 dias (respeitando o limite de quatro doações ao ano) e mulheres a cada 90 dias (respeitando o limite de três doações ao ano);

– Cada doador colabora com três a quatro pacientes com uma única doação;

– Manhã – tomar café leve e sem alimentos gordurosos;

– Tarde – doar duas horas após o almoço;

– Não se alimentar de refeições com alto teor de gordura;

 

Mais informação de como realizar a doação: http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/requisitos_basicos_para_doacao

 

Redação CHK

Redação CHK

Somos apaixonados por comunicação e pela Chácara Klabin. Acreditamos que moradores unidos têm o poder de transformar o bairro e a cidade onde vivem.
Redação CHK