Quando em meados da década de 70, Caetano Veloso, colocou a expressão popular “PRÁ LÁ DE MARRAKESH”
na música “Qualquer Coisa” a expressão era usada como sinônimo de insanidade, de “piração”, de comportamento de alguém que estava atrapalhado, meio louco das idéias, fora dos eixos.

Hoje, Marrakesh está mais perto e acessível, além de ser uma cidade que praticamente não precisa de apresentação. É, certamente , o maior destino turístico de Marrocos, então visitar o Marrocos e ir pra “PRÁ LÁ DE MARRAKESH” deixou de ser coisa de doido, pirado, para fazer parte de uma viagem das mais memoráveis da sua vida. Marrocos ainda um destino exótico, que combina características do mundo árabe, europeu e berbere com uma grande diversidade geográfica, desde as grandes cidades imperiais, montanhas, deserto e mar. Neve, deserto e mar! Um país extenso e seguro, com povo muito simpático e acolhedor. A duração ideal para uma visita é de duas semanas, mas se não tiver esse tempo uma semana pode ser suficiente para ter uma ideia do país. Você não pode perder!

1. Cozinha e Costumes Marroquinos

Para se conhecer a cultura de um país não há nada melhor do que conhecer sua culinária. O marroquino é um povo muito hospitaleiro, aonde oferecer chá faz parte do bem receber. O chá típico é o de menta e o hábito de bebê-lo está enraizado na cultura marroquina, o que o torna muito mais do que uma bebida. O chá é todo um significado e ritual ao qual os visitantes não podem ficar indiferentes. Quando se visita alguém, numa loja ou mesmo na rua, se lhe oferecerem um chá, não recuse. Existe uma técnica em torno do chá desde a preparação das folhas, a preparação da infusão em si até à forma como é servido, despejado do bule bem alto criando uma fina coroa de espuma no copo, aliás, copos e chaleiras maravilhosas! Não pude resistir. Se tiver tempo e gostar, você pode embarcar em uma viagem culinária, onde aprenderá todos os segredos da cozinha marroquina. guiados por chefs profissionais, você criará um menu tradicional com os melhores ingredientes do mercado e especiarias tradicionais, vários locais oferecem estas aulas. Marrocos é a terra de azeitonas, açafrão, tâmaras e mel e especiarias, o coração desta notável culinária. Especialidades culinárias marroquinas:

Tajine, um guisado de cordeiro ou frango; acompanhado de vegetais ou casca de laranja confitada.
O cuscuz é feito de sêmola de cereais, o mais usado é de trigo, em granulado miúdo e pode ser feito com legumes, carne, peixe, e frutas secas.
Pastilla (massa folhada com amêndoas recheadas envolta em açúcar e canela , pode ser doce e salgada com recheio de frango)
Pão folha, leve e macio assado na hora , irresistível, com húmus e beringelas.

Não deixe de provar o vinho Gris, um rosé de cor mais pálida que a maioria, vinificado como branco à partir de
uvas tintas, sem nenhuma ou pouquíssima maceração. O deliciosos doces marroquinos, com pistache, mel e amêndoas, juntamente com o queijo de cabra marroquino fazem a alegria de todos, recomendo os doces da confeitaria Amou que tem lojas em Casablanca e e também em Marrakesh.

2. Um dos segredos mais bem guardados de Marrocos: Fez

Fez é a cidade medieval mais bem preservada de todo o mundo árabe ainda “viva”. Uma visita ao interior da medina de Fez é entrar num mundo à parte. Não adianta tentar imaginar, só vivendo essa experiência para sentir o que isso significa.

Nunca, jamais, em tempo algum, pense em visitar Fez sem um guia local para te guiar pela cidade velha! Certamente você se perderá sozinho, pois a Medina é feita de ruelas e becos estreitos, onde não é permitida a entrada de carros. Os estabelecimentos são abastecidos com a de burricos de carga. Fique atento e ouça os ensinamentos de nosso guia Mr. Said, ao escutar ”balak,balak”, dê passagem para não ser atropelado por um burrico. Vale muito a pena se hospedar dentro da medina e almoçar e jantar em um dos restaurantes perto da porta Bab Bou Jeloud ou em um belo riad como Riad Fez ou Riad Amani.

Em Fez visitamos a primeira universidade do mundo, a Universidade al Quaraouiyine, além de outras atrações e o
curtume Chouara, um dos cartões postais da cidade , o curtume foi fundado no século XI e continua em atividade
até os dias de hoje. Lá os couros de vaca, bode, ovelha e camelo são tratados com e tingidos com produtos naturais, como açafrão e índigo. O cheiro é horrível, os guias oferecem folhas de hortelã para disfarçar mal cheiro. Mas foi em Fez que as lojas nos pegaram! Tapetes lindíssimos, com motivos tribais, trabalho em prata, luminárias… mas atenção nessa hora , pois barganhar faz parte do bom negócio, habib, eles são mestres nesta arte!

3. Passear pela cidade azul de Chefchaouen

É quase obrigatório visitar Chefchaouen, uma pequeníssima cidade de casas azuis e ruas estreitas, onde se consegue tirar fácil muitas fotos lindíssimas. Conhecer a cidade velha e aproveitar a parada em um dos restaurantes, café e lojas de kebabs em volta da praça principal, que é o lugar perfeito para desfrutar de um chá de menta no fim da tarde. E se você se pergunta porque a cidade é azul, as explicações são muitas. Acredita-se que a cor afasta mosquitos, mas a tradição se iniciou em 1900. Azul é a cor sagrada do mar e do céu. O judaísmo reconhece o azul como um símbolo de Deus e as casas foram pintadas como um lembrete diário disso.

4. Atravessar o Vale de Dades e Gargantas de Todra

É uma região, fronteira com o Saara. Depois de atravessar alguns oásis, você avistará a garganta de Todra. Não há como não se impressionar  com a imponência do cânion  que vai ficando ainda mais estreito, não ultrapassando os 10m de largura em alguns lugares, e é ladeado por paredes praticamente verticais de rocha macia que atingem os 160m de altura. Partindo para o vale de Dades,  pudemos percorrer desfiladeiro de Dades, 50km de uma estrada com um visual cinematográfico.

5. Um dos paraísos principais de Marrocos : O grande oásis!

Não se encontra muito sobre isto na internet, pois este paraíso está fora das vulgares rotas turísticas. É um segredo só para alguns… É o grande oásis do Vale do Ziz. Trata-se de uma floresta de palmeiras com o chão todo em ervas aromáticas onde se vive ainda como há centenas de anos atrás. Praticam uma agricultura biológica, movimentam-se de burro e são um povo berbere puro e hospitaleiro.

Há um alojamento encantador onde se pode viver e partilhar as rotinas , aprender a fazer tapetes tradicionais, cursos de culinária, aprender danças berberes , fazer tatuagens de henna e muito mais. Este oásis enorme é atravessado pelo rio Ziz, o que o torna fértil e permite brincadeiras no verão, como saltar de cima das palmeiras.

5. Uma experiência para uma vida toda: uma noite no Deserto do Sahara

Depois de viajar quase um dia inteiro, chegamos nas portas do deserto na cidade de Merzouga , onde fomos recebidos com o tradicional chá de menta, lá também nosso guia nos fez turbantes para irmos a caminho dessa aventura, protegendo nossos cabelos e rostos. Muito divertido, tudo começou antes do entardecer em um carro 4X4, uma verdadeira corrida ao deserto, em direção a tenda, onde passaríamos a noite. A imagem de um deserto de areias finas e douradas a perder de vista no horizonte é o que nos vinha na memória e não nos decepcionou. Em meio ao NADA, no deserto do Saara fomos recebidos com música, fogueira, chá de menta é claro e muita animação.

A noite fria começou com um jantar típico oferecido na tenda e se estendeu por horas entre conversas sob aquele imenso céu estrelado, no meio de um vazio sem fim. Esse céu não pode ser comparado a nenhum outro que você já tenha visto, que apesar de azul índigo, era de uma luminosidade tão grande que passava uma tranqüilidade admirável. Fomos acordados no dia seguinte pelos nossos anfitriões antes do nascer do sol e os dromedários enfileirados nos aguardavam para a subida nas dunas. Por mais que tivesse planejado aquele momento, nada me preparou para ele. Pegadas só mesmo as nossas e, depois de alguma espera e esforço para subir bem alto nas dunas, ele, o astro rei deu seu espetáculo: realmente inesquecível!

7. Assistir o por do sol  em Marrakesh

Na diversidade e beleza do Marrocos, os pores do sol são de tirar o fôlego. E como não falar de Marrakesh… conhecida como a cidade rosada, pérola vermelha, lá você pode escolher um café na praça Jemaa el-Fnaa, e acompanhar de cima dos terraços o fervilhar de gente a  atividade frenética com músicos, encantadores de cobras e inúmeras barracas de comida, uma boa opção é Kasbah Cafe , aonde tomei um expresso acompanhado de uma torta de frutas marroquinas. Outra opção bem bacana é assistir  o pôr do sol  acompanhado de uma champanhe ou vinho Rosé, no Mad Bar, bar do luxuoso hotel Palais Namaskar, onde se pode avistar a majestosa silhueta das montanhas do Atlas aos sons do Marrocos contemporâneo, criando uma outra realidade desse Marrocos místico, um cenário elegante para uma fuga do Sahara.

Enfim o Marrocos é uma jóia… uma pérola… um mundo à parte formado por valores inestimáveis… você tem que conhecer!

 

 

 

 

Regina Renda

Regina Renda

Formada em comunicação Social pela ECA- USP com pós graduação em Administração de Empresas e Marketing pela Fundação Getulio Vargas. Hoje é sócia- fundadora da Up Travel Br, agencia e operadora de Turismo, presente na Chácara Klabin, há mais de 12 anos. Ama viajar e trazer dicas exclusivas para clientes e amigos, veja mais no blog www.reginarenda.com.br
contato:[email protected]
Regina Renda